Double

MANIFESTAÇÃO

EDITORIAL | Carnaval com política: Na folia e na resistência!

Bolsonaro não escapa do clima de descontração trazido pela folia e dá mote para a festa com tema de laranjal

Double | João Pessoa (PB) |
Oposição recebe Bolsonaro com laranjas, durante a chegada dele ao Congresso, no dia 20 de fevereiro.
Oposição recebe Bolsonaro com laranjas, durante a chegada dele ao Congresso, no dia 20 de fevereiro. - Sérgio Lima/ Poder360

O carnaval está chegando e sua história vem de longe. Existem várias explicações sobre sua origem, uma delas diz que o carnaval surgiu na Grécia em homenagem ao Deus Dionísio e que preocupava as autoridades: elas eram as principais vítimas das sátiras e brincadeiras. No carnaval, o povo acertava as contas com os seus governantes.

Atualmente, não é muito diferente. Podemos citar como exemplo o desfile da Escola de Samba Paraíso do Tuiuti (2018), que levou para avenida muita crítica política e social, passando pelo questionamento sobre se a escravidão já havia acabado ou se ainda vivemos num cativeiro social. A escola enunciou a reforma trabalhista e a piora das condições de trabalho dos/as brasileiros/as. Ainda levou para a avenida “os manifestoches”, que manipulados pela Globo, foram às ruas pedir a saída de Dilma da presidência, mas se calaram diante de tantas acusações de corrupção do atual governo. No último carro alegórico do desfile, estava o "Vampirão traidor' com a faixa presidencial. O Temer ficou p* da vida. A Tuiuti foi à segunda colocada, mas para o povo, ela foi à verdadeira campeã.

Aqui na Paraíba, particularmente em João Pessoa, o forte do carnaval são as suas prévias, onde os diversos blocos, pequenos e grandes, preparam e organizam a sua folia, com irreverência, fantasia e muita alegria. Já é possível sentir, pelas manifestações nas redes sociais que, assim como Grécia Antiga, o nosso Presidente não vai ter sossego e vai ter suas acertar suas contas com povo paraibano. 

Motivos não faltam!

Desde que se mudou para o palácio do planalto, dia após dia, só fez trapalhadas. Avanços e recuos. Recuos dos recuos. E para o povo? Nenhum avanço! Disse que não ia ter ‘toma lá da cá’, mas "tome lá dá cá" para poder eleger Rodrigo Maia presidente da Câmara. Disse que a mamata ia acabar, mas o que a gente vê é mamata para os familiares e amigos próximos que ganharam cargos no governo. Dos seus 22 ministros, 9 são investigados por corrupção. E ainda tem o caso Queiroz e o ‘Micheque’ para a senhora Bolsonaro no valor de 24 mil reais. Cadê o Queiroz? O Flávio Bolsonaro está bem caladinho depois que descobriram que ele quebrou o recorde de depósitos no valor de 2.000 mil reais em menos de 10 minutos. 

Recentemente, temos os casos das "candidaturas laranjas" do Partido Social Liberal (PSL) que envolvem desde o atual ministro do turismo, Marcelo Álvaro Antonio, de Minas Gerais, até o ex- secretário-geral da Presidência, Bebianno, fiel escudeiro de Bolsonaro. Ele era responsável por selecionar as laranjas, digo, “as candidatas” e também quem autorizava o repasse do fundo partidário para as campanhas estaduais. Uma delas recebeu 400 mil reais, disse que gastou 380 mil, mas só recebeu 274 votos! 

Onde está o dinheiro? O gato comeu, O gato comeu! E ninguém viu? O gato sumiu, O gato sumiu! 
Agora, o que não pode no carnaval é querer destruir a Previdência e acabar com a aposentadoria do Povo! Ai é osso! Ai é osso!

Edição: Heloisa de Sousa


Double Mapa do site

1234