Double

segurança

Saiba como proteger seus dados e seu dinheiro em caso de roubo, furto ou perda do celular

Pelo sistema operacional do seu smartphone é possível rastrear, bloquear e apagar os dados que estão no celular

Double | São Paulo (SP) |

Ouça o áudio:

A senha da tela de bloqueio não é suficiente, já que existem falhas de segurança nos sistemas operacionais e nos aplicativos que permitem acessos não autorizados - Agência Brasil

Os smartphones atualmente concentram uma série de informações pessoais importantes. Com ele conseguimos acessar e-mail, redes sociais, contas bancárias e até documentos de identificação, sem que haja proteção suficiente para esses dados. Isso faz com que o aparelho esteja cada vez mais visado por quadrilhas especializadas em golpes virtuais.

Para evitar ser vítima de golpes em caso de roubo ou furto do celular, é importante proteger o aparelho. O primeiro passo é bloquear a tela do celular com senha. Evite usar números óbvios, como o ano de nascimento de algum familiar ou datas de aniversário, pois são números mais fáceis de adivinhar. As senhas mais seguras combinam letras, números e símbolos, mas a segurança deve ser balanceada com a praticidade. Uma senha muito longa pode mais atrapalhar do que ajudar. 

A senha da tela de bloqueio é importante, mas não é suficiente. Isso porque é possível perder a posse do celular com a tela desbloqueada, situação comum em roubos na rua. Além disso, existem falhas de segurança nos sistemas operacionais e nos aplicativos que permitem que outras pessoas acessem o seu dispositivo. Segundo o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), essa falha abre "brechas na segurança que permitem que haja golpes e fraudes". 

Para quem tem sistema operacional Android, uma forma de proteção é a criação de múltiplos perfis. Isso amplia a segurança pois as informações de um perfil não podem ser acessadas por outro. Dessa forma, é possível ter um perfil com os dados sensíveis e outro mais simples, para usar fora de casa.  Para isso você deve acessar a opção "Usuários e Contas", nas configurações do seu aparelho. Lá é possível adicionar usuários e gerenciar estes perfis. 

Outra ação preventiva é colocar um limite para suas transações por PIX. Isso é possível nos aplicativos de internet banking. Alguns bancos permitem realizar movimentações sem senha. Caso o uso de senha não seja padrão no aplicativo do seu banco, entre em contato com a instituição para saber se é possível ativar essa opção.

Levaram meu celular, o que devo fazer?

Se você for vítima de furto ou roubo, há diversos passos necessários para tentar conter o prejuízo. É imprescindível registrar um Boletim de Ocorrência para respaldar seu contato com as instituições financeiras.

Os sistemas Android e iOS permitem que o usuário bloqueie o aparelho remotamente, desde que faça isso por um aparelho já usado anteriormente. Por isso, faça login com a mesma conta do seu aparelho em outro celular (de uma pessoa de confiança, por exemplo) ou computador. Dessa forma, é possível impedir o acesso aos aplicativos rapidamente. 

Para aparelhos com Android, faça isso pelo Encontre Meu Dispositivo do Google, e em aparelhos iOS, isso pode ser feito pelo iCloud. Ative previamente a busca por localização do seu dispositivo para ativar remotamente o bloqueio do celular.

É importante entrar em contato com as suas instituições bancárias e operadoras de cartão para bloquear movimentações financeiras, sobretudo em compras online, que podem ser realizadas sem senha. Também desative a função de pagamento por aproximação no celular.

Se ainda assim ocorrerem compras em seu nome, entre em contato direto com as instituições pode reaver os valores gastos. Sempre guarde os protocolos dos atendimentos. 

É de responsabilidade das instituições financeiras garantir um atendimento de qualidade ao consumidor. Caso a demanda não seja atendida, é possível registrar uma reclamação na ouvidoria do banco ou ainda acionar o Procon de sua região para que este órgão medie a recuperação dos valores perdidos. Há ainda a opção de reclamação no Banco Central ou no site Consumidor.gov.br

Outra forma de bloquear é entrando em contato com a sua operadora e informando o número de identificação do aparelho, conhecido como IMEI. Para saber o IMEI do seu celular disque *#06# e o número aparecerá na tela do seu celular. Este número também pode ser encontrado na caixa do aparelho. Guarde essa informação de maneira segura, porém de fácil acesso.

O bloqueio do aparelho também pode ser feito mediante denúncia e solicitação em alguma delegacia da Polícia Civil. Todos os estados do Brasil, com exceção do Amapá e do Acre, possuem este sistema de bloqueio. 

É recomendável também a alteração de senhas de e-mails, redes sociais e demais contas que você possui no aparelho. Além disso, o Idec recomenda não manter suas senhas em um bloco de notas virtual, sobretudo se esta plataforma não possuir senha de acesso. A verificação de duas etapas em todos os aplicativos também deve ser feita sempre que possível. 

Edição: Thalita Pires


Double Mapa do site

1234