Double

democracia

Violência político-eleitoral: atos em várias cidades pedem paz e justiça por Marcelo Arruda

Protestos começam nessa sexta (15), em São Paulo; em Foz do Iguaçu, movimentos e familiares se reúnem no domingo (17)

Double | São Paulo (SP) |
O guarda municipal Marcelo Arruda foi morto com dois tiros à queima roupa, enquanto comemorava seus 50 anos - Divulgação

Ao menos seis atos serão realizados em diferentes cidades do Brasil, entre esta sexta-feira (15) e domingo (17), reivindicando paz, eleições justas e justiça por Marcelo Arruda.

O guarda municipal, sindicalista e dirigente petista foi morto a tiros durante sua festa no último sábado (9), pelo bolsonarista Jorge José da Rocha Guaranho, um policial federal penitenciário. Arruda comemorava seus 50 anos em Foz do Iguaçu (PR) com uma festa temática "Lula 2022".

Em São Paulo, os protestos começam nesta sexta-feira (15), com um ato às 17h em frente ao Teatro Municipal, no centro da cidade. Em  Foz do Iguaçu, movimentos e familiares protestam no domingo (17), na praça da Paz, em ato que será transmitido ao vivo pelo PT.

Saiba mais: Polícia descarta motivação política em assassinato de Marcelo Arruda em Foz do Iguaçu

A mobilização está sendo organizada pelo Movimento Brasil Popular, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), o Levante Popular da Juventude, o Movimento dos Trabalhadores por Direitos (MTD), partidos como o PT, o PCdoB, o PSOL e o PSB, centrais sindicais, grupos religiosos, entre outros.

"O ato é em defesa da paz principalmente, neste momento difícil que nós estamos passando, principalmente no estado do Paraná", explica Regina Cruz, da Frente Brasil Popular e uma das organizadoras da manifestação em Foz do Iguaçu. "Já tivemos um atentado contra a caravana do ex-presidente Lula, também com tiro, mas dessa vez, infelizmente, foi fatal", diz.

:: Assassinato de petista mostra escalada da violência durante eleições e riscos do bolsonarismo ::

Para Antônio Funari Filho, presidente da Comissão Justiça e Paz de São Paulo, um dos organizadores do ato na capital paulista, "a gente só vai recuperar a dignidade e o que foi destruído nos últimos anos se houver uma grande mobilização".

Segundo o Observatório da Violência Política e Eleitoral, da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio), entre 1º de abril e 30 de junho deste ano, houve 101 casos de violência contra lideranças político-institucionais no país, com 24 homicídios. Em comparação com o primeiro trimestre de 2020, quando aconteceram as eleições municipais, houve um aumento de 17,4%.

"Se o inimigo eleva o tom das ameaças, nós elevamos o grau da organização, da autoproteção de cada pessoa e de cada coletivo", defende Eliane Martins, dirigente do Movimento Brasil Popular.

Confira onde vão acontecer atos: 

Foz do Iguaçu (PR) 

Domingo (17), às 10h – ato com movimentos, amigos e familiares de Marcelo Arruda na Praça da Paz. 

Curitiba (PR) 

Domingo (17), às 10h – ato na Praça Tiradentes, em frente à Catedral. 

São Paulo (SP) 

Sexta-feira (15), às 17h – ato na frente do Teatro Municipal. 

Sábado (16), às 10h – ato inter-religioso contra a violência na Catedral da Sé. 

Domingo (17), às 10h – ato “Justiça para Marcelo Arruda. Chega de violência política” em frente ao Masp. 

Osasco (SP) 

Domingo (17), às 10h - ato na Capelinha do Helena Maria. 

Porto Alegre (RS)

Domingo (17), às 11h - ato no Brique da Redenção - Parque Farroupilha

Edição: Nicolau Soares


Double Mapa do site

1234