Double

Ceará

CAMPANHA VACINAL

Campanha Nacional de Multivacinação quer combater a queda vacinal dos últimos anos

Objetivo é atender crianças e adolescentes menores de 15 anos de idade, e segue até 14 de outubro

Double | Juazeiro do Norte (CE) |
Os municípios do Estado programam a intensificação da vacinação nos próximos dias, para que crianças e adolescentes possam atualizar o esquema vacinal. - Tomaz Silva/Agência Brasil

O Ceará recebeu no inicio de de outubro, o lançamento da Campanha Nacional de Multivacinação. Com a presença da Ministra da Saúde, Nísia Trindade; do ministro da Educação, Camilo Santana; do governador do Ceará, Elmano de Freitas; do prefeito de Fortaleza, José Sarto; da Secretária da Saúde do Ceará, Tânia Mara Coelho; o lançamento aconteceu na Escola Municipal de Educação Infantil e Ensino Fundamental Prof. Anísio Teixeira, localizada no bairro Paupina, em Fortaleza, que contou ainda com a presença do queridinho entre as crianças, o Zé Gotinha.

A campanha de multivacinação é parte do Movimento Nacional pela Vacinação, lançado ainda em fevereiro deste ano pelo Ministério da Saúde, e busca atualizar o calendário vacinal de crianças e adolescentes até os 15 anos de idade, evitando a reintrodução de doenças já eliminadas no Brasil diante da queda das coberturas vacinais registrada nos últimos anos. Com 13 dias de duração, a campanha segue aberta até 14 de outubro, e todas as vacinas de rotina estarão disponíveis durante as três semanas da multivacinação.


O Ceará iniciou a Campanha Nacional de Multivacinação no último sábado (30), com ações nos Vapt Vupt do Antônio Bezerra e Messejana, em Fortaleza / Ascom Governo do Estado

O Secretário Executivo de Vigilância da Secretaria da Saúde do Ceará, Antônio Lima Neto, afirmou para o Double Ceará que a campanha de multivacinação é de grande importância para toda a população cearense, e destaca o desafio em propor uma campanha de grande dimensão com apenas 15 dias de duração. “Estamos nos propondo a checar a caderneta e poder atualizar a vacina de um número muito grande de crianças e adolescentes, que possuem de 0 a 15 anos de idade. 

Durante o evento de lançamento da campanha, a Ministra da Saúde, Nísia Trindade, afirmou que somente a união deve fazer o Brasil voltar ao histórico de altas taxas de cobertura vacinal, superando a desinformação dos últimos anos. Durante o discurso, a ministra ressaltou também que campanhas de vacinação não se constroem de forma unitária, e que devem ser construídas de forma coletiva. “Nesse mês da criança, vacinar é um ato de amor, cuidado e vida”, afirmou.


Em sua passagem pelo Ceará, a ministra revelou que em outubro, também será retomado o Programa Saúde na Escola, com vacinação, educação sexual e transmissíveis, e cultura de paz / Ascom Casa Civil

Para garantir que todos os estados e municípios brasileiros consigam realizar a campanha multivacinação, o Governo Federal, através do Ministério da Saúde, movimentou mais de R$ 151 milhões de reais aos estados e municípios brasileiros. No Ceará, o repasse feito para os municípios totalizam o valor de R$ 5,1 milhões de reais para apoiar as ações. Já o Estado recebeu cerca de R$ 519 mil reais para operar a campanha.

O secretário pontuou ainda que a realização da campanha vem depois de um período de muito negacionismo, num momento em que a gente constrói novamente uma atmosfera colaborativa entre Governo Federal, Estados e Municípios. “É muito significativo e muito simbólico que a gente ainda no primeiro ano do governo do presidente Lula, já tenhamos uma campanha tão robusta, tão estratificada, tão voltada para os municípios como um todo”.

Além do Ceará, outros seis estados brasileiros também iniciaram a Campanha Nacional de Multivacinação, sendo eles Paraíba, Piauí, Alagoas, Tocantins, Goiás e São Paulo.

Queda da cobertura vacinal nos últimos anos

Apesar da aplicação gratuita dos imunizantes de rotina, de acordo com dados do Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações, nos último anos as coberturas vacinais do calendário nacional não atingiram as metas preconizadas pelo Ministério da Saúde, que estabelece uma porcentagem de 90% para as vacinas BCG e rotavírus e 95% para os demais imunizantes.

O estado do Ceará, por exemplo, apresentou uma queda considerável nas coberturas vacinais a partir de 2019, com um novo aumento de 2022. No entanto, o Estado ainda não alcançou as metas preconizadas pelo ministério para BCG (com porcentagem de 93%), pentavalente (84%); poliomielite (84%), pneumocócica 10 (84%); rotavírus (81%), meningocócica C (81%) e tríplice viral (D1) (89%). 

Campanha de Multivacinação no Ceará


Todas as vacinas de rotina estarão disponíveis durante a Campanha Nacional de Multivacinação / Ascom ESP/CE

Com objetivo de tornar esses índices superiores a 90% do público-alvo imunizado para BCG e rotavírus, e cobertura vacinal mínima de 95% para os demais imunizantes, o secretário revelou que a estratégia utilizada segue um padrão nacional, chamado de Microplanejamento. A estratégia busca dar aos estados e municípios a autonomia necessária para que os mesmos possam decidir as suas estratégias mais viáveis e mais importantes para os diferentes contextos. “Pela primeira vez existe uma transferência fundo-a-fundo de recurso do Ministério da Saúde para os municípios, e isso permite que as gestões municipais vejam suas particularidades e possam escolher definir estratégias que são mais eficientes naquela situação particular”, afirmou.

Além do Microplanejamento, o Governo do Estado assegurou ainda junto a Secretaria de Saúde do Estado do Ceará (SESA), a abertura de 2500 salas de vacinação para atender a demanda cearense. Em Fortaleza, por exemplo, o governo deve abrir salas de vacina nas unidades do Vapt Vupt do Antônio Bezerra e Messejana para funcionamento aos sábados.

A expectativa com a campanha é que o máximo de crianças e adolescentes tenham suas cadernetas atualizadas. São mais de 17 vacinas para diferentes faixas etárias, e para alcançar o maior número de vacinados, será necessária a mobilização de toda a gestão do estado e também da sociedade civil. O secretário de vigilância destacou que nesse momento a participação da sociedade é fundamental, uma vez que é dever da sociedade combater os mitos e as desinformações criadas acerca da aplicação de vacinas, movimento que teve grande crescimento durante os quatro anos do Governo de Jair Messias Bolsonaro. “Precisamos reiniciar um processo que foi subitamente travado no governo anterior, de fake news, de descredibilização das vacinas. Então a população compreender que uma campanha como essa não envolve apenas doenças já erradicadas ou eliminadas, mas também entender que envolve outras vacinas como a vacina contra a meningite e pneumonia”.


Além dos serviços nos postos de saúde, a multivacinação incentiva estratégias diferenciadas para ampliar a adesão à imunização / Thiago Gadelha - ESP/CE

Durante as três semanas da Campanha, serão disponibilizadas 17 imunizantes contra uma diversidade de doenças, sendo elas: BCG, Hepatite A, Hepatite B, Pentavalente, Pneumocócica 10-valente, Vacina Inativada Poliomielite, Vacina Oral Poliomielite, Vacina Rotavírus Humano, Meningocócica C, Febre Amarela, Tríplice Viral, Tríplice Bacteriana, Tetraviral, HPV quadrivalente, dT, DTP adulto e Menigocócica ACWY. Para ter acesso à vacinação, basta comparecer às Unidades Básicas de Saúde, portando documento de identificação ou cartão do SUS e caderneta de vacinação. 

Para receber nossas matérias diretamente no seu celular clique aqui.

Edição: Camila Garcia


Double Mapa do site

1234